Resumo Trabalho

O TEATRO DE FANTOCHES E A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS COMO FERRAMENTAS PARA O ENSINO DOS CONTEÚDOS CONCEITUAIS E ATITUDINAIS NAS AULAS EDUCAÇÃO FÍSICA

ROBERTA LUCIANA DE MACENA, ELISA THEREZA LOPES DE AGUIAR, LUCAS FERREIRA SILVA, THAYSE BORGES COSTA, MARIA GORETTI CUNHA LISBOA, JOZILMA DE MEDEIROS GONZAGA

No âmbito escolar a Educação Física tem em suas mãos o poder de transformar realidades que vão desde a própria percepção de questões educacionais até questões ligadas a vida dos seus alunos, para isto, é preciso que haja um equilíbrio em relação aos conteúdos ministrados pelos professores, nos quais, o direito do aluno de aprender não seja violado. A transformação de pensamentos e atitudes dos alunos são frutos de uma boa seleção de conteúdos e de um bom planejamento, e para que isso aconteça, as aulas de Educação Física precisam ser fundamentadas seguindo as vertentes de objetivos (conceituais, procedimentais e atitudinais) perpassando, assim, por todos os conteúdos de forma associada, com o intuito de alcançar os seus objetivos de aprendizagem. A escolha dos recursos didáticos para a aplicação destes conteúdos se faz necessário para tonar o processo de ensino-aprendizagem mais rico e de fácil entendimento. Desta forma, o uso do teatro de fantoches e da contação de história para trabalhar os conteúdos conceituais e atitudinais, permitiu que o conhecimento fosse construído de forma mais lúdica e descontraída, dando vez ao imaginário do alunado. Metodologia: O trabalho com o teatro de fantoches foi realizado na Escola Municipal Deputado Petrônio Figueiredo com alunos do Ensino Infantil e Fundamental I - Pré I e II, 1° e 2° ano, com faixas etárias de 4 anos a 6 anos e de 6 anos a 8 anos, durante a execução do “Projeto Dançando com o meio ambiente”. Essa atuação se deu a partir do PIBID-Educação Física sob a supervisão da professora de Educação Física da escola. A escola já provia de vários fantoches, de forma que não foi necessária a produção dos mesmos. Ao escolher os fantoches, procurávamos escolher aqueles que tinham características diferentes uns dos outros, para tentar representar a diversidade entre os alunos. Eram montados roteiros para abordar os temas desejados naquela aula, e os fantoches eram manipulados pelos próprios bolsistas. A participação dos alunos acontecia através de perguntas que eram lançadas a eles a respeito do tema trabalhado. Resultados: A partir da aplicação desta estratégia durante o desenvolvimento do projeto, foi possível perceber que o trabalho com fantoche se fez eficiente para atingir a demanda dos objetivos conceituais e atitudinais, indo de encontro àqueles pré-estabelecidos. Estas constatações se davam a partir de atividades onde os alunos tinham a oportunidade de se expressar, como o desenho e a mímica. Conclusão: Esses resultados mostram o quanto é importante a experimentação e a renovação de nossos olhares a respeito das práticas empregadas com nossos alunos, e o quão gratificante é a confirmação de que através de nossa ajuda, esses alunos estão conseguindo entender as diversas possibilidades que a Educação Física pode os proporcionar, contribuindo assim para o desenvolvimento físico e cognitivo a partir da educação infantil.

Veja o artigo completo: PDF