Resumo Trabalho

LITERATURA DE CORDEL NO ENSINO DE FÍSICA: UMA DIDÁTICA LÚDICA E CULTURAL

EMERSON PAES DE BRITO, DIEGO CÁSSIO GARCIA FERNANDES, KALINKA WALDEREA ALMEIDA MEIRA e orientado por KALINKA WALDEREA DE ALMEIDA MEIRA e orientado por KALINKA WALDEREA DE ALMEIDA MEIRA

Este trabalho utiliza a Literatura de Cordel para produzir no aluno conhecimentos de Física, que, por sua vez, pode ser gerado ou aperfeiçoado na sua presença. A ideia foi produzir cordéis de Física e gerar no estudante uma forma prazerosa e lúdica, utilizando-se também da cultura nordestina, em aprender conteúdos da disciplina, motivando o aluno a aprender e, ao mesmo tempo, inserindo nele valores culturais, sociais e econômicos, preparando-o de forma integral e sólida. Todas as atividades foram produzidas de forma a inserir o aluno como um construtivista do conhecimento, prevalecendo a dinâmica e o protagonismo, que predispõe o desejo de aprender. Foi apresentado o Cordel e sua poesia, em contra partida, a teoria da Física, para assim deixar que produzissem poesias relacionadas. A motivação do aluno em aprender Física é quase sempre negativa, pois sabe-se que a escola atual trabalha de forma sistemática, onde o conteúdo é transmitido para ele e, posteriormente avaliado, sem inseri-lo numa construção, o que faz o estudante perder a motivação em desenvolver conhecimento na disciplina. Nesse cenário, a produção de cordéis de física vem trazendo uma opção de fuga para a aprendizagem significativa, em que esse misto de cultura regional e disciplina, introduz o estudante na construção do conhecimento, apropriando-se de uma linguagem corriqueira de rimas, versos e métrica para falar de Física. É necessário que o aluno sinta prazer em estudar, a motivação de uma atividade dinâmica e inovadora pode causar a salvação de muitos que não se identificam com toda formalidade que a mesma trata de fenômenos, assim, o Cordel ganha as salas de aula e tenta instigar o aluno para o conhecimento.

Veja o artigo completo: PDF