Resumo Trabalho

HISTÓRIA DA CIÊNCIA EM SALA DE AULA: ESTUDOS SOBRE A INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA NO SÉCULO XVII

PEDRO STEINMÜLLER PIMENTEL, INGRID KELLY LAURA DOS SANTOS PINTO, JOSÉ PRAXEDES DE OLIVEIRA NETO

Este trabalho pretende descrever uma experiência docente, dirigida por alunos do curso de Licenciatura em Física da Universidade Estadual da Paraíba, que são bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Utilizando elementos da História da Ciência, uma atividade experimental e a metodologia dos três “momentos pedagógicos”, criada por Demétrio Delizoicov (que são: problematização inicial, organização do conhecimento e aplicação do conhecimento) os bolsistas elaboraram e aplicaram uma proposta didática voltada para alunos de terceiro ano do ensino médio, cujo tema central foi a Indução Eletromagnética. A atuação em sala de aula desenvolvida subdivide-se em duas grandes partes: planejamento e intervenção. No planejamento, os licenciandos realizaram: pesquisas e leituras de materiais didáticos e históricos, que atendessem seus objetivos para a realização da intervenção; e elegeram uma experiência que discutia o assunto em questão – um mini gerador eletromagnético. A aplicação (intervenção) contou com três encontros. No primeiro, explorou-se a análise do episódio histórico de Michael Faraday (1791-1867) e a realização (em grupo) da atividade prática escolhida referente a indução eletromagnética, em que ao final do experimento cada equipe respondeu um questionário pertinente. O segundo encontro consistiu na análise das teorias atuais sobre o tema, ou seja, as leis de Faraday e Lenz. De modo geral, essas teorias afirmam, respectivamente, que a variação de um fluxo magnético através de uma espira induz nela uma corrente elétrica, e também que a corrente induzida tem sentido oposto ao da variação do campo magnético que a gera. Para abordar a física pertinente em sala de aula foi feito um estudo de livros didáticos objetivando a produção de um material específico para os alunos. O último encontro foi reservado à avaliação, que compreendeu a observação contínua e sistêmica da participação dos estudantes nas atividades e a resolução de um desafio envolvendo um mapa conceitual que envolvia as informações-chave referentes a todo o conteúdo explorado. O PIBID ao proporcionar esse contato direto entre o estudante de licenciatura em Física e a sala de aula, contribui para que os futuros professores estejam cada vez mais qualificados para lidar com situações reais do cotidiano escolar, do processo de ensino-aprendizagem e da relação professor-aluno.

Veja o artigo completo: PDF