Resumo Trabalho

ROSA COR DE MENINA E AZUL COR DE MENINO? RELAES DE GNERO NA EDUCAO INFANTIL

Autor(es): THAYANNE GUILHERME CALIXTO e orientado por MARLENE HELENA DE OLIVEIRA FRANA e orientado por MARLENE HELENA DE OLIVEIRA FRANA

Esse artigo versa sobre a discusso acerca das relaes de gnero na educao infantil, com foco no tratamento que dispensado as meninas e aos meninos pelos educadores no que se refere as manifestaes no contexto escolar. Nossas observaes parte do contexto de uma turma do Maternal II, onde comum observar situaes em que preconceitos de gnero e/ou sexistas so reproduzidas por diferentes sujeitos, entre os quais, encontram-se crianas de 3 a 4 anos. Tais preconceitos precisam ser combatidos, sobretudo nos espaos escolares; lugar em que comum deparar-se com uma distino demarcada entre meninos e meninas, que ocorrem na maior parte das vezes, por meio das brincadeiras. Momentos em que os meninos so mais violentos, enquanto das meninas, espera-se amabilidade e delicadeza, nos fardamentos, materiais escolares, separao de cores (ex.: azul e rosa), higiene, atividades fsicas, divises de brinquedos, linguagem, comportamentos diferenciados, entre outros. Tais condicionamentos tendem a ser incorporados pelas crianas desde cedo, e isso acaba reproduzindo regras sobre o que de menino e o que de menina. vista disso, o caminho metodolgico escolhido foi uma cuidadosa reviso bibliogrfica acerca dos estudos de gnero e sexualidade, com base em autores como: Beauvoir (2009), Carvalho (2004), Furlani (2008), Louro (1997) e Nunes (2005), considerou-se tambm neste estudo, prticas educativas no tocante a Educao sexual na escola, especificamente, na educao de crianas pequenas. Utilizou-se ainda de observaes sistemticas entre as crianas no tocante s questes de gnero, na turma do Maternal II de um Centro de Referncia em Educao Infantil (CREI) do municpio de Joo Pessoa/PB. Como resultado das observaes e a interlocuo com as leituras, evidenciou-se a cotidiana manifestao da sexualidade das crianas, sobretudo, sabendo que, no espao da Educao Infantil que as crianas iniciam as suas primeiras relaes sociais e interaes com outras crianas, assim, fundamental que as(os) docentes que iro atuar nessa etapa estejam preparadas(os) para lidar com questes da sexualidade presentes nesse espao, no sentido de que atitudes sexistas, preconceituosas e discriminatrias no sejam naturalizadas. Por fim, entende-se que direito da criana a oferta da Educao Sexual.

Veja o artigo completo: PDF