Resumo Trabalho

A PSICOLOGIA DIALOGANDO COM A VIOLNCIA OBSTTRICA E O DIREITO DA MULHER: UMA REVISO BIBLIOGRFICA

Autor(es): ANA REBECA PAULINO PORTELA, EMANUELA NASCIMENTO DA SILVA e orientado por LEONARDO SILVA e orientado por LEONARDO SILVA

A problemtica da violncia obsttrica um fenmeno multifacetado. Questes como gnero, direito da mulher, cultura, papis sociais, conceito ampliado de violncias so todos pensados quando se discute essa temtica. Compreende-se por violncia obsttrica todos os atos desrespeitosos e prticas contra a mulher grvida e sua famlia em servios de sade durante o pr-natal, parto, ps-parto, cesrea e abortamento. A mulher objetificada, subjugada e, portanto, no se sentindo como dona de seu prprio corpo era/ submetida a prticas e intervenes mdicas masculinas, importante frisar, uma vez que esse espao sempre foi constitudo pela figura do homem como maioria ou at unanimidade que surgem, com o advento da Obstetrcia mdica, numa perspectiva de solidariedade humanitria e cientfica diante do sofrimento, como forma de afirmar a superioridade masculina sobre o ofcio feminino de parir. Por isso, o que vemos como violncia hoje, uma vez que a mulher tem mais voz e empoderamento sobre seu prprio corpo, antes era visto como uma interveno solidria e necessria, portanto, vrios procedimentos passavam longe de serem vistos como invasivos e desnecessrios. Hoje, faz-se urgente repensar essas prticas no intuito de garantir um parto onde a mulher seja realmente a protagonista e, portanto, com menos intervenes possveis, que na maioria das vezes so iatrognicas, traumatizantes. preciso, sobretudo, o respeito pela mulher e a garantia do seu direito de parir sem se deixar ferir de forma alguma.

Veja o artigo completo: PDF