Resumo Trabalho

REFLEXES INTERSECCIONAIS E FEMINISTAS SOBRE A VIOLNCIA CONTRA MULHERES NA BAIXA PROSTITUIO.

Autor(es): LORENA BRITO DA SILVA e orientado por VERNICA MORAIS XIMENES e orientado por VERNICA MORAIS XIMENES

Objetiva-se nesta comunicao analisar a violncia na baixa prostituio feminina, sendo a interseccionalidade um recurso analtico-metodolgico para pensar as condies de possibilidades que produzem tais violncias e a negao de direitos dessas mulheres. Essas reflexes foram sistematizadas a partir de uma etnografia realizada entre 2012 e 2014 na Barra do Cear/ Fortaleza. Ao compreender a prostituio enquanto um trabalho sexual historicamente estigmatizado, destaca-se na sua anlise os efeitos das relaes desiguais de gnero e da culpabilizao da mulher pela vivncia no normativa de sua sexualidade. A violncia contra as prostitutas encontra-se velada no universo da violncia contra mulher, no havendo nmeros oficiais no pas. As anlises apontam que pensar a realidade das prostitutas pobres reconhecer as diferentes facetas que as atravessam enquanto mulheres, pobres, putas. A dinmica da baixa prostituio atravessada pela territorial, estando cdigos e regras da zona prostitucional em disputa/acordo com o territrio. Dentre as violncias presentes na baixa prostituio, destacam-se as estruturais, resultantes do contexto de pobreza, as institucionais e as culturais, que se desdobram dos eixos de subordinao machistas e sexistas. A violncia articula-se como uma teia relacional que acaba por impedir o reconhecimento do outro (classe, gnero ou raa/etnia) mediante o uso da fora fsica e/ou simblica. Assim, aponta-se como urgente reconhecer a prostituio como um trabalho, de modo que visibilizar e ampliar os dilogos sobre as vulnerabilidades e as naturalizaes no neguem a autonomia e o direitos sobre seus corpos, desejos e discursos.

Veja o artigo completo: PDF