Resumo Trabalho

POESIA DE BANHEIRO: (R)EXISTNCIA E EMPODERAMENTO FEMININO

Autor(es): NATLIA MARQUES DA SILVA SOARES, THAYANNE GUILHERME CALIXTO e orientado por MARLENE HELENA DE OLIVEIRA FRANA e orientado por MARLENE HELENA DE OLIVEIRA FRANA

A resistncia feminina, feminista e poltica tm consistido na luta de inmeras mulheres, que livrando-se das correntes do patriarcado vivenciam a desconstruo desse sistema no cotidiano e no convvio dirio, muitas vezes marcado pelos discursos discriminatrios e preconceituosos. Os meios que esse empoderamento surge so os mais diversos, desde a mdia televisiva, internet, redes sociais, ruas, palcos, msicas, poesias, produes acadmicas e literrias, grafites, artes plsticas e visuais, debates, palestras, dilogos casuais, entre outros. No entanto, as expresses presentes nos banheiros femininos constituem-se a motivao principal da presente pesquisa, que tem por objetivo analisar as expresses de estudantes, servidoras, funcionrias, professoras, e demais mulheres que circulam os banheiros da Universidade. O caminho metodolgico escolhido foi reviso bibliogrfica acerca do corpo feminino, gnero, patriarcado, movimento feminista, e as formas de resistncia s determinaes sociais que marginalizam o feminino. Para a coleta de dados, mapeamos frases e expresses escritas nos banheiros femininos do Centro de Educao - CE e Centro de Cincias Humanas, Letras e Artes - CCHLA na Universidade Federal da Paraba - UFPB, Campus I. Os escritos encontrados manifestam traos do corpo, da violncia, de gnero, posicionamentos polticos, empoderamento, angstias, emoes, motivaes, como Preta, vc linda!, Quando uma mulher avana, o machismo retrocede, Resistncia feminina crew, Mulher deusa, Fora Temer, Mulheres, se unam, J gozou hoje, mulher?, Amar sem Temer. Com base no levantamento bibliogrfico e expresses coletadas, evidencia-se as marcas da imagem e a representao social que a mulher tem de si, reafirmando que sim, ns, mulheres possumos emoes, sexualidade, autonomia e, sobretudo, que a luta diria, que o feminismo liberta e que o espao pblico nosso, portanto, tambm, local de expresso e manifestao de desejos.

Veja o artigo completo: PDF