Resumo Trabalho

NEM O CENTRO, NEM A MARGEM: O LUGAR DA BICHA PRETA NA HISTRIA E NA SOCIEDADE BRASILEIRA

Autor(es): MEGG RAYARA GOMES DE OLIVEIRA

Neste artigo discuto o trajeto histrico das bichas pretas em nossa sociedade. Inicialmente problematizo a falta de trabalhos que problematizem as experincias de homossexuais masculinos negros no Brasil e a relao da pesquisa acadmica com o fentipo e com a orientao sexual dos pesquisadores e pesquisadoras. O conceito de interseccionalidade desenvolvido pela jurista negra estadunidense Kimbel Crenshaw pea chave nessa discusso por possibilitar um revezamento entre diversas reas do conhecimento, como os estudos das relaes tnico-raciais, os estudos de gnero e diversidade sexual, as teorias ps-estruturalistas e a obra de Michel Foucault. Utilizo os termos bicha e preto/a como categorias de anlise por entender que potencializam o debate sobre raa e gnero, alm de possibilitar que se questione a normatizao presentes nas categorias homossexual e negro/a. Nenhuma categoria aqui debatida foi tratada como algo esttico, fixo, cristalizado, numa oposio declarada s vises essencialistas que generalizam existncias e desconsideram os mltiplos processos que as envolvem.

Veja o artigo completo: PDF