Resumo Trabalho

DESAFIOS DA ABORDAGEM ANTROPOLGICA PARA O ESTUDO DAS TRABALHADORAS RURAIS ASSENTADAS E PRODUTORAS RURAIS EM MATO GROSSO DO SUL

Autor(es): PAULO ROBERTO LUCCA e orientado por GUILHERME RODRIGUES PASSAMANI

Do rompimento que o projeto Malinowiskiano representou s formas ainda hegemnicas de interpretao da cultura dos povos selvagens at a ecloso de uma vigorosa prtica etnogrfica urbana, o devir da Antropologia se mostra sempre intricado. As abordagens metodolgicas dos/as que se aventuram na interpretao de fenmenos identitrios (sejam eles rurais, urbanos ou tnicos), se infiltram dentro de um plexo de conceitos que impingem disciplina um lugar de relevo nas Cincias Sociais, sempre afinado com o enredamento das transformaes em curso. O objetivo do presente artigo, justamente promover uma reflexo sobre a abordagem que a Antropologia Social dispe para o estudo de dois grupos de mulheres em especfico: trabalhadoras rurais de assentamentos e produtoras rurais proprietrias de grandes latifndios em Mato Grosso do Sul. Nesse sentido, possvel pensar nas particularidades que a Antropologia pautada no estudo das relaes sociais de gnero - a Antropologia Feminista pode oferecer. Tal proposio terica, demonstra muita afinidade no entendimento desses grupos. Tanto trabalhadoras rurais assentadas quanto produtoras rurais proprietrias de grandes contingentes de terras, apesar de possurem um marcador social facilmente identificado pelo fato de serem mulheres, certamente dispem de trajetrias de vida, identidades e cultura diferentes entre si. Ao se estudar as reflexes tanto do conceito de interseccionalidade presente na Antropologia Feminista quanto das reflexes sobre as diferentes possibilidades de pesquisa permitidas pela Etnografia Contempornea, possvel afirmar que ambas podem figurar como elemento norteador central de pesquisas focadas nas diferentes maneiras de distribuio de poder entre grupos de mulheres distintos.

Veja o artigo completo: PDF