Resumo Trabalho

CORPOREIDADE INTERSEX: CAMINHO PARA CONSTRUO DE SABERES E CUIDADOS INTERDISCIPLINARES

Autor(es): ANA KARINA FIGUEIRA CANGU CAMPINHO, ANDRA SANTANA LEONE DE SOUZA, ISABEL MARIA SAMPAIO OLIVEIRA LIMA

A intersexualidade envolve anatomias sexuais/reprodutivas congnitas que divergem do socialmente esperado para homens ou mulheres. As fronteiras que pretendem delimitar os corpos masculinos e os femininos ficam borradas, no sendo possvel eleger um nico caractere que defina o sexo. Os corpos intersex ocuparam lugares distintos ao longo da histria da humanidade, no entanto os significados conferidos a estas corporeidades sempre convergiram no sentido da marginalizao e desvalorizao da diferena. No contexto da famlia o nascimento da criana intersex envolvida pelo segredo e a manuteno deste se tornou uma prtica respaldada pelo discurso comum aos profissionais de sade. Neste estudo apresentaremos a atuao de uma equipe multiprofissional de um servio que se tornou referncia no atendimento s pessoas intersex. O destaque dado demanda de reformulao de saberes e prticas profissionais no atendimento a um jovem nascido com corporeidade intersex. A partir dos dilogos interdisciplinares oriundos desta experincia e de outros acompanhamentos s pessoas intersex foi possvel a elaborao de uma cartilha para famlia de pessoas intersex.. Tem a equipe de sade um papel primordial na desmistificao da condio de intersexo e na promoo da sade integral das pessoas intersex. A integralidade se apresenta como um princpio fundamental contribuindo para promoo de uma vida digna. O horizonte para promoo da dignidade das pessoas intersex passa, entre outras instncias, pela acessibilidade aos servios de sade. As tecnologias e teraputicas precisam estar servio das pessoas intersex nas suas vrias etapas da vida, mas devem situar-se a partir do compromisso tico de no medicalizao ou mesmo da psicologizao da vida. A interdisciplinaridade, nesta circunstncia da intersexualidade, integra, alm da construo de novas epistemologias, a reformulao de uma tica da dignidade.

Veja o artigo completo: PDF