Resumo Trabalho

HISTRIAS DE MULHERES TRABALHADORAS RURAIS E VIOLNCIA SIMBLICA: ASSIMETRIA DE GNERO?

Autor(es): MARIA ASENATE CONCEICAO FRANCO

O objetivo do artigo analisar e contextualizar elementos empricos, a violncia simblica na trajetria de vida de mulheres trabalhadoras rurais baianas velada nas relaes sociais dissimtricas. A histria das mulheres brasileiras narradas por vozes masculinas e marcada pela invisibilidade e episdios, negao de direitos e isolamento intelectual e ordem patriarcal de gnero, acentuado pelo racismo, sexismo e posio social. Processo de resistncias de movimentos de mulheres e movimentos feministas negro no contexto social do Brasil traduz adverso sub-representatividade das mulheres na sociedade modelada pela figura masculina. Na emergncia dos anos 1970, as vozes femininas evocaram narrativas e, como sujeito e objeto, (re) escreveram suas histrias. Interlocuo com pesquisadoras da temtica proposta e anlises empricas oriunda do projeto de pesquisa sobre as representaes social da violncia contra a mulher no meio rural sero delimitares das reflexes do presente artigo que ampliar discusses sobre a histria das mulheres e violncia simblica. A discusso recair sobre falas de mulheres trabalhadoras rurais que participaram do projeto de pesquisa: Trabalhadoras Rurais, Representaes Sociais e a lei 11.340/2006 no meio rural: as expresses multifacetadas da violncia domstica e familiar contra a mulher trabalhadora rural e teve como metodologia as tcnicas do grupo focal, rodas de conversas, observao assistemtica e questionrio como procedimento para complementar informaes das mulheres participantes do projeto. A violncia simblica reforada pela assimetria de gnero nas vidas de mulheres rurais baianas.

Veja o artigo completo: PDF