Resumo Trabalho

A EQUIPE GESTORA FRENTE AS QUESTES DE GNERO E SEXUALIDADE NA ESCOLA

Autor(es): FERNANDA XAVIER SILVA SANTANA e orientado por PROF. DR. MARCOS LOPES DE SOUZA e orientado por PROF. DR. MARCOS LOPES DE SOUZA

As discusses relacionadas a gnero e sexualidade nas escolas, apesar de est sendo mais bem aceitas, ainda continuam cercadas de tabus e preconceitos. Por isso, a importncia de se desenvolver cada vez mais pesquisas que venham sinalizar desafios e possibilidades para que sejam reconhecidas as diferenas, a diversidade sexual e os direitos humanos. Diante disso, essa pesquisa busca analisar os discursos da equipe gestora com relao s questes de gnero e sexualidade que permeiam a escola. Como base terica, a pesquisa estar dialogando com a perspectiva ps-estruturalista. A pesquisa qualitativa e est sendo desenvolvida em uma escola pblica estadual do interior da Bahia, tendo como participantes da pesquisa a equipe gestora da escola, nomeados hierrquica e historicamente como: diretor/a, vice-diretor/a, coordenador/a pedaggico. A escolha do colgio se deu porque ouvi muitos boatos na cidade que na escola existem muitos homossexuais, e, alm disso, possuir um professor que usa salto alto. Esses comentrios me inquietaram e me fizeram pensar como se dar as questes de gnero e sexualidade na escola, pelo olhar da equipe gestora. Trata-se de uma pesquisa de mestrado em andamento. Para a produo dos dados foi realizada entrevista semiestruturada com gestorxs. A anlise de dados esta se dando com base nos estudos foucaultianos sobre discurso. Nesse sentido, a pesquisa traz como benefcios, a produo de conhecimento cientfico tendo como foco a relao da gesto escolar com as questes de gnero e sexualidade, algo ainda pouco investigado, alm disso, contribuir para que gestorxs reflitam sobre suas prticas em relao as questes de gnero e sexualidade na escola. Como resultado preliminar se percebe uma contradio discursiva, onde de um lado se ver a perspectiva heteronormativa, de controle dos corpos, de no compreenso da sada da norma, e, do outro, discursos de acolhimento, de respeito e aceitao das diferenas.

Veja o artigo completo: PDF