Resumo Trabalho

EDUCAO E REPRESENTAO FEMININA NO AUTO DA COMPADECIDA DE ARIANO SUASSUNA

Autor(es): SUZANA FERREIRA PAULINO, PEDRO PAULO PROCÓPIO, ANDRA KALINE ARCOVERDE DE MOURA, ARIADNE BARROS BARKOKBAS

A literatura uma maneira de representar, criticar as prticas, pensamentos e aes de uma sociedade atravs de seus enredos e personagens. As identidades de gnero so processos complexos, impostos pela sociedade na qual estamos inseridos, seja por nossos pais ou por amigos, designando modelos normativos nicos e constitutivos das subjetividades dos indivduos. Face um contexto social no qual a base foi o patriarcalismo e suas relaes de poder, a mulher foi apresentada social e culturalmente na literatura como ser inferior e submisso ao homem. Tradicionalmente, os homens estabeleceram o seu domnio sobre as mulheres ao longo dos tempos. A polaridade masculina de no poder chorar, no demonstrar seus sentimentos, no ser fraco, covarde, perdedor e passivo nas relaes sexuais, entre outros e a feminina de ser frgil, delicada, maternal, dependente, cuidadora da famlia, submissa, entre outros so caractersticas na constituio dos traos e papis sociais de cada um. A presente pesquisa tem por objetivo investigar as representaes femininas no Auto da Compadecida de Ariano Suassuna atravs da anlise das personagens femininas Rosinha (filha do Major Antnio Moraes) e Dora (mulher do padeiro). A anlise se baseou nos pressupostos terico-metodolgicos da Crtica Literria Feminista e dos Estudos Literrios, considerando o contexto histrico, social, poltico e discursivo, a partir de uma pesquisa exploratria e qualitativa. Os resultados indicam que as personagens so representaes das identidades femininas tradicionais, presas aos padres patriarcais, embora haja uma tentativa de desvinculao dos mesmos.

Veja o artigo completo: PDF