Resumo Trabalho

ENTRE O HORROR DO SILNCIO E O GOZO DA INVASO: QUANDO O FEMININO SUBJETIVA O TRAUMA

Autor(es): THAYANNE GUILHERME CALIXTO e orientado por HERMANO DE FRANA RODRIGUES e orientado por HERMANO DE FRANA RODRIGUES

Decifrar a si mesmo pode se constituir em caminhos jamais percorridos por outrem, no interior de corpos aprisionados, desejos emudecidos, revestidos em fantasias. O conto O besouro e a Rosa retrata o despertar da jovem Rosa, conhecida por sua pureza e infantilidade, a qual no havia manifestado curiosidade ou desejos que a censura e a moral probem ser exprimidos, ou melhor, at a chegada do besouro. Neste sentido, trata-se, ento, do reconhecimento de si, do conhecimento do corpo, do sexo e suas potencialidades, ampliadas a partir das dimenses da sexualidade, que aspira o prazer, estranho a tal modo, como se fosse um desconhecido em ns. O corpo, este que possui desejos, dos mais primitivos aos corruptos, que crescem ao olhar do outro, delineando e constituindo a sexualidade do corpo que meu, sobre este, que se pretende discorrer neste trabalho. Para isso, optou-se, como caminho metodolgico, a reviso bibliogrfica acerca do corpo e suas vicissitudes, ora desconhecido, ora descoberto. Unido a isto, fez-se uma anlise desses aspectos no Conto O Besouro e a Rosa, do autor Mrio de Andrade (2013). Logo, nota-se que a personagem Rosa, ao descobrir seu sexo e sexualidade e, consequentemente, o prazer, inicia uma intensa busca de volta as sensaes antes adormecidas que ganham nome e lugar. Assim, no mais conhecida por sua pureza, alimentava fantasias noturnas que deixava o interior de seu sexo em chamas, incendiando um corpo no mais desconhecido e, sim, um corpo ertico. Alm disso, observou-se o lugar de destaque do corpo da personagem, sendo minuciosamente detalhado em traos e sensaes libidinosas.

Veja o artigo completo: PDF