Resumo Trabalho

DISSDIOS DO DESEJO: AMORES QUEIXOSOS, FANTASIAS LITIGIOSAS

Autor(es): JEANE LIMA ARAGO e orientado por HERMANO DE FRANA RODRIGUES

Desde exato o momento em que somos lanados no mundo, deparamo-nos com a inevitvel dor do desamparo. Ainda que (re)elaborada pela cultura, esta dor acompanha o homem no curso de sua existncia e o coloca ante a injuno de torna-se sujeito, ou seja, vir a ser capaz de assimilar e entender as leis e os interditos que regem as sociedades humanas. Na verdade, no h equvoco algum em se presumir que a entrada no mundo dos significantes implique uma barreira necessria a constituio psquica do indivduo, visando impedir que as pulses mais primitivas do inconsciente encontrem concretude. Mas quando, por alguma razo, o sujeito busca ultrapassar a barragem imposta, o resultado ser uma tentativa, fadada ao fracasso, de se ver livre dos grilhes que o prendem a linguagem a fim de (re)encontrar um gozo que, diga-se de passagem, est perdido desde sempre e para sempre. Este o caso descrito na obra francesa da cineasta e dramaturga Marguerite Duras, O amante, publicado no de 1984. Na narrativa em foco, de carter expressamente biogrfico, a autora nos apresenta as reminiscncias de sua infncia e adolescncia junto aos seus familiares: em um ambiente inspito, a decadncia econmica e moral de uma famlia mergulhada nas ambivalncias de desejos edpicos recalcados so postas em cena. Por isso, nossa pesquisa, numa conexo entre os estudos psicanalticos de base (ps)freudiana com a literatura, pretende investigar os indcios de uma (no) superao do Complexo de dipo e seus correlacionados que permeia histria de Duras.

Veja o artigo completo: PDF