Resumo Trabalho

TRABALHO CO-LABOR-ATIVO FEMININO FEIRANTE: AS TECNOLOGIAS SOCIAIS DE SUPERAO DAS DESIGUALDADES NA RALAO DE MANDIOCA NA FEIRA DE SO JOAQUIM

Autor(es): SAULO ROBLEDO CARDOSO e orientado por MARIA DO CARMO SOARES FREITAS e orientado por MARIA DO CARMO SOARES FREITAS

O presente estudo constitui parte das anlises desenvolvidas durante o perodo entre 2011 e 2013 junto ao programa de mestrado em Sade, Ambiente e Trabalho da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, em parceria com o Sindicato do Comrcio Varejista de Feirantes e Ambulantes da Cidade do Salvador Sindifeira, onde as investigaes prosseguem. Foi tomado como objetivo geral desta pesquisa o trabalho desenvolvido por um grupo de mulheres, lideradas por uma trabalhadora que atua na atividade feirante h quarenta anos, durante a produo da massa de mandioca na Feira de So Joaquim, cidade do Salvador, Bahia. Constitui objeto principal de investigao nas atividades laborais destas trabalhadoras o mapeamento da construo de suas estratgias de superao das desigualdades no ambiente da referida feira. Trata-se, portanto, de uma abordagem qualitativa por meio de relatos de histria laboral e das observaes participantes sobre a atividade de ralao de mandioca. O contato com a teoria compreensiva, desenvolvida por Clifford Geertz, bem como, importantes estudos metodolgicos desenvolvidos por M.C. Minayo e E.S.C. de Souza, contriburam significativamente para o alcance dos objetivos deste estudo. Importantes tericas como Sueli Carneiro e ngela Davis contriburam sobremaneira para as discusses aqui trazidas acerca dos processos histricos e contemporneos das relaes de trabalho e gnero com vistas superao das desigualdades por mulheres negras em suas atividades laborais. A Anlise Ergonmica do Trabalho (AET) representa tambm uma importante ferramenta metodolgica corroborando para o detalhamento do trabalho co-labor-ativo, aqui compreendido enquanto tecnologias sociais, desenvolvido por estas trabalhadoras. Conclui-se que as atividades co-labor-ativas representam importantes instrumentos estruturantes da Feira de So Joaquim; o conjunto de prticas co-labor-ativas desenvolvidas pelas raladoras de mandioca, enquanto tecnologias sociais, constituem significativas ferramentas de difuso do conhecimento no ambiente da feira; As tecnologias sociais se apresentam como significativos instrumentos de superao das desigualdades e da manuteno da sobrevivncia individual e coletiva das raladoras; As tecnologias sociais implementadas por estas trabalhadoras representam importantes referenciais para outras trabalhadoras feirantes;

Veja o artigo completo: PDF