Resumo Trabalho

QUEER SARJETA: PRESENA DE UM CORPO ESTRANHO EM UMA CORRIDA DE RUA

Autor(es): RAFAEL MARQUES GARCIA e orientado por ERIK GIUSEPPE BARBOSA PEREIRA e orientado por ERIK GIUSEPPE BARBOSA PEREIRA

A prtica de atividade fsica enquanto cultura corporal do movimento estruturou-se atravs de segregaes socioculturais. No caso dos esportes, o corpo masculino tange-se atravs de uma contraposio ao feminino e vice-versa. A partir destes expostos e das constantes manifestaes de violncia contra grupos queer, aqui compreendidos como sujeitos desviantes da heteronormatividade, o objetivo do estudo foi relatar a experincia de um corpo queer em uma corrida de rua buscando responder seguinte pergunta: de que maneira as pessoas respondem presena de um desviante em territrios demarcados pelas convenes de gnero? Para tanto, utilizamos uma abordagem qualitativa e o mtodo de experimentao de campo. O autor realizou a prova de 5 km da Etapa Primavera realizada no Rio de Janeiro trajando a camisa do evento e um short saia, o que desencadeou olhares, cochichos, risos e comentrios maldosos. Evidencia-se que a presena de corpos que se manifestam de maneiras diferentes ao convencional no absorvida, apenas indigesta. Ser queer e expressar-se queer, mesmo que num momento de lazer e recreao torna-se perigoso para a sociedade, que to atrelada s suas significaes de mundo, adota para si ideologias excludentes. A corrida de rua, enquanto elemento de performance, recreao ou ainda de lazer , assim como os demais espaos sociais, regida pelas convenes de gnero e sexualidades heteronormativas, sujeitando o queer a um espao limitado, marginalizado e sem o reconhecimento de sua prpria identidade.

Veja o artigo completo: PDF