Resumo Trabalho

REPRESSO E LIBERDADE SEXUAL NO NOVO CINEMA PERNAMBUCANO

Autor(es): DIGO SOUZA LIMA e orientado por ANTNIO DA SILVA CMARA e orientado por ANTNIO DA SILVA CMARA

Esse trabalho tem como base a pesquisa ainda inicial para desenvolvimento no mestrado na Universidade Federal da Bahia. Se insere no campo da sociologia da arte, e tem por objeto a representao de comportamentos sexuais e a sua represso social nas obras ficcionais Tatuagem (Hilton Lacerda, 2013) e Baixio das bestas (Cludio Assis, 2007). Ambas integrantes do Novo Cinema Pernambucano, tomado aqui como um movimento, mesmo no formalizado. Essa denominao pode ser tomada para efeito de pesquisa devido ao fato deste cinema apresentar semelhanas significativas em suas formas representacionais, pois a questo da tradio/modernidade perpassa as obras flmicas da retomada do cinema no Estado de Pernambuco. A questo norteadora deste cinema, qual seja, a do questionamento das relaes patriarcais diante da emergncia da modernidade encontram-se fortemente presentes nas obras que pretendemos estudar, Baixio das Bestas e Tatuagem, que interpem rural e urbano, represso e liberdade. Esse projeto pretende-se uma anlise sociolgica e esttica das obras cinematogrficas citadas, importantes pelo seu contedo e repercusso, evidenciado nas premiaes, discutindo tambm o prprio movimento cinematogrfico, e porque Pernambuco se destaca na produo nacional de filmes. Os filmes escolhidos sero analisados esteticamente e sociologicamente, usando a tcnica de dcoupage, que consiste na fragmentao de cenas para uma anlise mais detalhada, e no seu reagrupamento a posteriori para uma continuidade da anlise e interpretao do todo.Tal procedimento leva em conta que necessrio contextualizar a obra com informaes externas sobre o diretor, a recepo do filme, as crticas, a apreciao dos prprios diretores etc., no entanto, no considera esses elementos como determinantes para a anlise da pelcula, uma vez que, a obra relevante por si mesma e pelas representaes que contem. Fazendo uma interseo entre cinema e sexualidade, podemos constatar que o sexo j foi to censurado no cinema que as cenas s tinham insinuao do que iria acontecer, os casais entravam no quarto e havia uma elipse de contedo. At mesmo a gravidez era um tabu, muitas mulheres engravidavam nos filmes, mas o corpo no sofria as transformaes caractersticas. No entanto, isso mudou tanto que atualmente temos filmes quase que inteiramente voltados para essa questo. No Brasil as pornochanchadas, comedias erticas sem sexo explcito, que obtiveram grande destaque durante a ditadura militar, na dcada de 1970, escancararam o teor sexual no cinema, quebrando tabus que imperavam at ento. A anlise dos discursos que Foucault aborda nas obras Histria da Sexualidade I e II sero levadas em considerao para a anlise das obras cinematogrficas escolhidas pelo seu valor histrico e por sua capacidade axiolgica ao fornecer categorias que nos permitem compreender a normatividade na sociedade moderna. No entanto, considero, ao mesmo tempo, ser necessrio compreender o papel da represso sexual na civilizao e, no caso especfico do nosso objeto de estudo como o cinema a refigura, por isso a crtica de Marcuse categoria da represso sexual em Freud, nos permite pensar os limites impostos ao exerccio da sexualidade e um horizonte de uma sexualidade mais livre.

Veja o artigo completo: PDF