Resumo Trabalho

AS SERPENTINAS, OS BLUES E OS TRNSITOS MARGINAIS: COMO SUJEITOS FERVEM E FALAM EM NARRATIVAS BAIANAS

Autor(es): NARA GIL MARTINS DE OLIVEIRA e orientado por PAULO CSAR SOUZA GARCA e orientado por PAULO CSAR SOUZA GARCA

Este trabalho resultado do estudo da obra Coraes, Blues e Serpentinas (2007), de autoria de Lima Trindade, escritor responsvel por adicionar fico baiana obras que abarcam identidades e diversidades sexuais. Afim de promover uma leitura atrelada ao queer, o objetivo da discusso compreender de que forma as personagens que diferem da matriz heterossexual declinam dos aparatos discursivos para adentrar em uma esfera mais crtica e consciente da prpria sociedade. A teoria queer prope a descentralizao de dicotomias identitrias fixadas e entende que s diversidades no operam o diverso somente para as homossexualidades, mas para todos e todas em orientaes e dissidncias sexuais. Sendo assim, a leitura proposta nesse estudo, visa colocar em xeque as tramas e representaes de sujeitos e seus desejos, afetos, identidades ou medos em liberar-se das prises, das gavetas e armrios que ora so arrombados, ora so trancados. A estratgia metodolgica adotada utilizar um marcador da instabilidade identitria (o queer) para analisar a obra de Trindade e para sustentar a discusso, tericos como Richard Miskolci(2009), Guacira Lopes Louro(2004) e Judith Butler(2003) foram acionados.

Veja o artigo completo: PDF