Resumo Trabalho

O DIREITO AO MANEJO DOS PRPRIOS DADOS, A AUTODETERMINAO E A PASSABILIDADE TRANS: DILOGOS A PARTIR DE UM RELATO

Autor(es): SRGIO RODRIGO DA SILVA FERREIRA e orientado por GRACIELA NATANSOHN e orientado por GRACIELA NATANSOHN

As tecnologias de comunicao digital esto tornando a informao mais acessvel para cidadania em processos que esto transformando as relaes. Para pessoas trans, essas lhes permitem encontrar espaos nos quais podem compartilhar suas vivncias e gerar debates importantes sobre como representar-se e pensar a si mesmas. Por outro lado, aspectos inerentes vivncia online condies como persistncia dos contedos, replicabilidade, escalabilidade e buscabilidade, bem como sua dinmica com audincia invisvel, contextos colapsados e a fluidez entre o pblico e o privado impedem que alguns sujeitos trans que optam por no revelar aspectos de seu passado anteriores a transio tenham o controle sobre o manejo de dados digitais. A partir do relato de uma mulher trans, se articulam dilogos tericos com a finalidade de criar aproximaes entre debates acerca da privacidade online e as questes trans, a passabilidade e a autodeterminao nos espaos mediatizados, ou seja, procura entender as implicaes das tecnologias digitais no conceito de passabilidade por meio da vivncia de pessoas trans. A passabilidade, conforme de Marta Lamas, entendida como caracterstica de sujeitos conseguirem apagar ao mximo seu sexo imposto ao nascer e colocar em si caractersticas sociais da identificao de sexo que deseja ser reconhecido. uma ao que aponta para produo social do gnero quando tais sujeitos trabalham sua imagem e sua gestualidade para dissimular aspectos de sua condio trans como estratgia de sobrevivncia ao rechao e discriminao. Trata-se, assim, da questo do direito a desindexar dados dos resultados de provedores de busca e de redes sociais online, da co-propriedade da informao e da co-gesto dos limites da privacidade.

Veja o artigo completo: PDF