Resumo Trabalho

A QUESTÃO DO NEGRO EM MONTEIRO LOBATO

Autor(es): MARIA DA LUZ DUARTE LEITE SILVA

A negritude tem sido atingida, historicamente, por um enorme emaranhado de significados negativos. Este fator tem propiciado uma identidade voltada a aspectos de “inferioridade” racial e preconceito, que, mesmo sendo históricos, ainda possuem fortes raízes na contemporaneidade, seja nos espaços sociais, midiáticos, educacionais e no literário. Para tanto, tornou-se importante investigar as representações do negro contidas na literatura, mais especificamente na literatura de Monteiro Lobato. Para isto, realizou-se uma discussão da construção sócio-histórica da identidade negra no Brasil, bem como uma análise de algumas obras de Lobato (adultas e infantis) e possíveis aspectos ideológicos que poderiam ter influenciado o escritor na construção da representação do negro. Foram tomados, como base neste estudo, alguns autores como Hall (2009), Lajolo (2014), Lobo (2008), Foucault (1975), entre outros. Logo, pode-se dizer que Monteiro Lobato vivera um período efervescente de teorias raciais, suas obras – sejam infantis ou adultas – também trazem em si uma revelação do “lugar” do negro – inferior, discriminado, estereotipado – na cultura branca, tendo, porém, que ressalvar uma possível ambiguidade do Lobato de seu tempo – envolvido pelas correntes ideológicas e “científicas” do discurso racista – e o Lobato denunciante da crueldade histórica do homem branco.

Veja o artigo completo: PDF