Resumo Trabalho

ASSISTÊNCIA À SAÚDE EM DUAS COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO SEMIARIDO BRASILEIRO

Autor(es): MARIA MICAELY DE SOUZA FREITAS e orientado por PROFA MA ANDREZZA KARINE ARAÚJO DE M.

Introdução: A população negra até os dias atuais vivenciam o preconceito e as desigualdades em seu dia a dia, em decorrência de um processo histórico que ficou marcado pela precariedade e sofrimento de muitas vidas. O objetivo do presente trabalho é apresentar e discutir os resultados preliminares da minha pesquisa de trabalho de conclusão de curso (TCC) que possui como objetivo geral “Conhecer a assistência à saúde ofertada a comunidades quilombolas do município de Portalegre, a partir da fala da população”. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de cunho descritivo-exploratório, com abordagem qualitativa. A pesquisa foi realizada no Município de Portalegre – RN, em especifico nas comunidades quilombolas Sobrado e Arrojado. Foi utilizado como instrumento de coleta de dados a entrevista semi-estruturada. Pesquisa aprovada pelo Comitê de ética em Pesquisa com Seres Humanos, na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, à qual o Sistema Nacional de Ética em Pesquisa (CAAE) gerou o número: 68613917.1.0000.5294. Resultados: Como já citado, a pesquisa em questão encontra-se em andamento, ou seja, os dados aqui apresentados e discutidos são dados parciais. Foi realizado até o momento a coleta dos dados e um breve compilado de alguns pontos do roteiro utilizado nas entrevistas, como: sexo, faixa etária, estado civil, religião, ocupação, e se os mesmos possuem algum problema de saúde. A coleta de dados ocorreu nas residências dos respectivos sujeitos, o que proporcionou um maior conforto para participação da pesquisa, uma vez que esta discute seus modos de vida e saúde. Em primeiro momento foi efetuado o contato direto com os mesmos a fim de realizar uma apresentação prévia e confirmar a participação na pesquisa. Na oportunidade, e quando era obtida a confirmação da participação, era marcado um horário que fosse conveniente para ambos. Foram marcadas vinte entrevistas, das quais dez foram realizadas na comunidade Sobrado e dez na comunidade Arrojado. A participação em sua maioria foram de mulheres, constando no total a participação de 16 pessoas do sexo feminino e 4 do sexo masculino. No momento das visitas, as mulheres eram mais receptivas que os homens, e eles na maioria das residências visitadas estavam chegando ou indo realizar os trabalhos na agricultura, cuidados com os animais, e as mulheres realizando trabalhos domésticos, que facilitava o contato. Foi identificado que o principal meio de subsistência pra essa população é a agricultura. Ao serem questionados se costumavam procurar o serviço de saúde local, visualizamos como resultado preliminar que a maioria dos participantes buscam a unidade apenas quando apresentam algum problema de saúde, ficando visível a fragilidade da Política Nacional Integral de Saúde da População Negra, que deveria trabalhar numa perspectiva de cuidados preventivos e de autonomia dos sujeitos e não somente cuidados curativistas, quando a doença já está instalada. Conclusões: É possível através de tais achados, constatar que de fato a busca pelos serviços de saúde está ligada também a questão como estes sujeitos se organizam socialmente e como vivenciam seu dia a dia.

Veja o artigo completo: PDF