Resumo Trabalho

EXPERI√äNCIAS E REFLEX√ēES ACERCA DA EDUCA√á√ÉO DO CAMPO EM TIMOR-LESTE

Autor(es): SAMUEL PENTEADO URBAN

Timor-Leste √© considerada a primeira democracia a se estabelecer como tal no s√©culo XXI, sendo que seu passado foi marcado por invas√Ķes, destacando-se, sobretudo, as realizadas por Portugal (1515-1975) e Indon√©sia (1975-1999). Internamente a luta pela restaura√ß√£o da independ√™ncia contra os invasores indon√©sios, por meio da Frente de Timor-Leste Independente (FRETILIN), iniciou-se um processo de Educa√ß√£o Popular ligado √† conscientiza√ß√£o pol√≠tica, baseado no conhecimento cotidiano dos pr√≥prios educandos e num ensino contextualizado as necessidades da luta, tendo como modelo os escritos de Amilcar Cabral. Depois de restaurada a independ√™ncia, as lutas come√ßam a ter um car√°ter mais especializado, com destaque para a luta realizada pelos camponeses na busca pela reforma agr√°ria e por uma educa√ß√£o contextualizada as reais necessidades do campesinato timorense. Nesse sentido, nasce o Instituto de Economia Fulidaidai-Slulu (IEFS), tendo como principal influ√™ncia o processo educativo realizado pela FRETILIN entre os anos de 1975 e 1999. Esse instituto foi idealizado pelo movimento social do campo Uni√£o dos Agricultores de Ermera e constru√≠do em parceria com a Universidade Nacional de Timor Lorosa¬íe e a Coopera√ß√£o Brasileira na √°rea da Educa√ß√£o em Timor-Leste. O presente relato busca refletir e apresentar uma experi√™ncia relacionada √† educa√ß√£o do Campo em Timor-Leste e, resulta de minha experi√™ncia na constru√ß√£o do curr√≠culo do IEFS por meio da coopera√ß√£o brasileira (2013 ¬Ė 2015) e da atividade como professor colaborador do IEFS em 2017, contando com an√°lise bibliogr√°fica acerca da tem√°tica, bem como da realiza√ß√£o de entrevistas semiestruturadas realizadas com os principais envolvidos na constru√ß√£o dessa escola.

Veja o artigo completo: PDF