Resumo Trabalho

A REPRESENTA√á√ÉO DA RESIST√äNCIA E DA IDENTIDADE DA MULHER NEGRA NOS CONTOS ¬ďDAS √ĀGUAS¬Ē DE CRISTIANE SOBRAL E ¬ďQUANDO PAREI DE MANDAR BEIJOS¬Ē DE TA√ćS ESP√ćRITO SANTO

Autor(es): MARIA JULIETA DIAS GONÇALVES

Este artigo teve como objetivo fazer uma an√°lise sobre a forma como √© representada o ato de resist√™ncia e a constru√ß√£o da identidade feminina negra nos contos: ¬ďDas √°guas¬Ē, da escritora Cristiane Sobral, e ¬ďQuando parei de mandar beijos¬Ē, de Ta√≠s Esp√≠rito Santo, retirados da obra Olhos de Azeviche. Assim sendo, as an√°lises e discuss√Ķes presentes neste trabalho compartilham as reflex√Ķes te√≥ricas de: Crenshaw (2002), Hall (2006), Gonzalez (1982), Souza (1983) e Fanon (2008). Ressaltamos como a identidade da mulher negra √© afetada a partir das experi√™ncias racistas vivenciadas por esta mulher em espa√ßos de poder negados historicamente a popula√ß√£o negra. Analisamos e conclu√≠mos que no conto ¬ďDas aguas¬Ē, da escritora Cristiane Sobral, √© representado uma mulher negra que constr√≥i sua identidade negra exaltando e amando seus tra√ßos negros. A personagem tamb√©m possui amor e respeito pelo seu povo negro, logo, ela encontra nesse mesmo povo e em Oxum a for√ßa que ela precisa para sobreviver ao racismo. Essa mesma mulher negra ao ocupar uma universidade √© obrigada a resistir para sobreviver em um ambiente predominantemente branco e racista, que tenta destruir sua identidade negra. No conto ¬ďQuando parei de mandar beijos¬Ē, de Ta√≠s Esp√≠rito Santo, a personagem principal √© uma mulher negra que sofreu profundamente com o racismo, como consequ√™ncia, o simples ato de mandar beijos se tornou algo imposs√≠vel, porque sua boca carnuda foi considerada algo desprez√≠vel pelos brancos presentes na escola em que ela estudava.

Veja o artigo completo: PDF