Resumo Trabalho

AS FESTIVIDADES RELIGIOSAS E SUAS INTERAƇƕES COM O MERCADO E O ESTADO

Autor(es): MARIA ERLANE BEZERRA BESSA e orientado por ROSALVO NOBRE CARNEIRO

As configuraƧƵes espaciais do alto oeste potiguar a partir do mundo da vida e mundo sistema, encontra-se estruturados nas interaƧƵes culturais, polĆ­ticas e econĆ“micas, no qual impƵe as mĆŗltiplas reproduƧƵes simbĆ³licas do espaƧo. Sendo assim, propƵe-se compreender as transformaƧƵes/modificaƧƵes no espaƧo Ā– tempo da regiĆ£o entre o mundo cultural, o mundo da economia flexĆ­vel e mundo do estado neoliberal a partir do recorte dos dados coletados do projeto PIBIC 2017/2018 da UERN denominado: espaƧo, mundo da vida e mundo do sistema no alto oeste potiguar com orientaĆ§Ć£o do professor Rosalvo Nobre Carneiro. Dentro deste contexto, enfatizamos nesse trabalho as manifestaƧƵes culturais da regiĆ£o ligadas aos festejos religiosos, que por sua vez possui contribuiĆ§Ć£o financeira dos Ć³rgĆ£os municipais e privados. As festividades que sĆ£o culturais sofrem assim influĆŖncia do Estado e da economia, e esses podem acabar transformando essas tradiƧƵes. Percebemos que as economias destes festejos trazem modificaƧƵes espaciais no setor de prestaĆ§Ć£o de serviƧos, tais como: barracas de alimentos, parque de diversĆ£o e outros comĆ©rcios temporĆ”rios. Portanto, conclui-se que atravĆ©s das festas religiosas podemos constatar a forte influĆŖncia do mercado, na distinĆ§Ć£o entre os espaƧos sagrados e profanos, transformando em alguns casos em atividades nĆ£o sĆ³ culturais, mas tambĆ©m econĆ“micas, modificando assim o espaƧo onde acontece e a dinĆ¢mica municipal. TambĆ©m podemos constatar a presenƧa do estado, como a gente patrocinador e muitas vezes atĆ© regulador da cultura, criando leis como dia do evangĆ©lico e introduzindo as festividades em calendĆ”rios municipais de cultura.

Veja o artigo completo: PDF