Artigo Anais II CINTEDI

ANAIS de Evento

ISSN: 2359-2915

DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADE PRÁTICO- PEDAGÓGICA NO ENSINO DE FUNÇÕES INOGÂNICAS PARA ALUNOS SURDOS

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO INCLUSIVA, ENSINO QUÍMICA, EXPERIMENTAÇÃO Pôster (PO) GT-16 - ENSINO DE CIÊNCIA, EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E INCLUSÃO
"2016-11-15 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 22812
    "edicao_id" => 49
    "trabalho_id" => 577
    "inscrito_id" => 178
    "titulo" => "DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADE PRÁTICO- PEDAGÓGICA NO ENSINO DE FUNÇÕES INOGÂNICAS PARA ALUNOS SURDOS"
    "resumo" => "A educação inclusiva, atualmente vem sendo bastante discutida no âmbito escolar. As práticas pedagógicas desenvolvidas para o Ensino de Química devem promover a aprendizagem e compreensão dos discentes, como também despertar o interesse, pelos conteúdos referentes à disciplina. O cenário atual das Escolas Públicas está distante do que realmente devemos considerar inclusão, há uma falta de atendimento adequado considerável para os alunos com algum tipo de deficiência, que procuram a inserção nas Escolas Públicas. A escassez de docentes qualificados para ensinar esses alunos com deficiência auditiva é bem notável, a ausência de intérpretes, a dificuldade na comunicação com colegas de sala de aula e falta de capacitação do corpo de funcionários das escolas são alguns fatores que prejudicam a permanência e o aprendizado dos desses discentes.  A interação dos docentes com os alunos dessa modalidade se faz essencial para uma aprendizagem significativa, dessa forma, uma alternativa para solucionar essa problemática é ampliar a zona de conhecimento dos professores, para que os mesmos possam desenvolver atividades diversificadas atendendo os diversos tipos de público que se fazem presente em sua sala de aula. Muitas vezes o docente se prende a uma única metodologia alegando falta de materiais para trabalhar nas escolas, mas os avanços são muitos e a utilização de materiais com baixo custo se torna cada vez mais presente em sala de aula, as aulas com a utilização desses materiais têm um custo mínimo e ainda conscientiza os alunos de que nem tudo que vai para o lixo é lixo.  Esse trabalho objetivou o acesso ao conhecimento químico  de deficientes auditivos, através da estruturação e aplicação uma aula interativa com mapas conceituais e utilizando materiais alternativos, fazendo ligação com o seu dia a dia e tornando o aprendizado desses discentes  mais eficiente e significativo, por meio da experimentação."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT-16 - ENSINO DE CIÊNCIA, EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E INCLUSÃO"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO INCLUSIVA, ENSINO QUÍMICA, EXPERIMENTAÇÃO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV060_MD4_SA16_ID178_11102016172904.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:08"
    "updated_at" => "2020-06-09 18:59:21"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JAQUELINE MENDES DA CUNHA"
    "autor_nome_curto" => "JAQUELINE"
    "autor_email" => "jmcunha3108@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA-UEPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-cintedi"
    "edicao_nome" => "Anais II CINTEDI"
    "edicao_evento" => "II Congresso Internacional de Educação Inclusiva e IIJornada Chilena Brasileira de Educação Inclusiva"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cintedi/2016"
    "edicao_logo" => "5e49faf25ae35_16022020233114.png"
    "edicao_capa" => "5f183d74d349a_22072020102156.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-15 23:00:00"
    "publicacao_id" => 21
    "publicacao_nome" => "Anais do Congresso Internacional de Educação e Inclusão - CINTEDI"
    "publicacao_codigo" => "2359-2915"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 22812
    "edicao_id" => 49
    "trabalho_id" => 577
    "inscrito_id" => 178
    "titulo" => "DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADE PRÁTICO- PEDAGÓGICA NO ENSINO DE FUNÇÕES INOGÂNICAS PARA ALUNOS SURDOS"
    "resumo" => "A educação inclusiva, atualmente vem sendo bastante discutida no âmbito escolar. As práticas pedagógicas desenvolvidas para o Ensino de Química devem promover a aprendizagem e compreensão dos discentes, como também despertar o interesse, pelos conteúdos referentes à disciplina. O cenário atual das Escolas Públicas está distante do que realmente devemos considerar inclusão, há uma falta de atendimento adequado considerável para os alunos com algum tipo de deficiência, que procuram a inserção nas Escolas Públicas. A escassez de docentes qualificados para ensinar esses alunos com deficiência auditiva é bem notável, a ausência de intérpretes, a dificuldade na comunicação com colegas de sala de aula e falta de capacitação do corpo de funcionários das escolas são alguns fatores que prejudicam a permanência e o aprendizado dos desses discentes.  A interação dos docentes com os alunos dessa modalidade se faz essencial para uma aprendizagem significativa, dessa forma, uma alternativa para solucionar essa problemática é ampliar a zona de conhecimento dos professores, para que os mesmos possam desenvolver atividades diversificadas atendendo os diversos tipos de público que se fazem presente em sua sala de aula. Muitas vezes o docente se prende a uma única metodologia alegando falta de materiais para trabalhar nas escolas, mas os avanços são muitos e a utilização de materiais com baixo custo se torna cada vez mais presente em sala de aula, as aulas com a utilização desses materiais têm um custo mínimo e ainda conscientiza os alunos de que nem tudo que vai para o lixo é lixo.  Esse trabalho objetivou o acesso ao conhecimento químico  de deficientes auditivos, através da estruturação e aplicação uma aula interativa com mapas conceituais e utilizando materiais alternativos, fazendo ligação com o seu dia a dia e tornando o aprendizado desses discentes  mais eficiente e significativo, por meio da experimentação."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT-16 - ENSINO DE CIÊNCIA, EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E INCLUSÃO"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO INCLUSIVA, ENSINO QUÍMICA, EXPERIMENTAÇÃO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV060_MD4_SA16_ID178_11102016172904.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:08"
    "updated_at" => "2020-06-09 18:59:21"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JAQUELINE MENDES DA CUNHA"
    "autor_nome_curto" => "JAQUELINE"
    "autor_email" => "jmcunha3108@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA-UEPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-cintedi"
    "edicao_nome" => "Anais II CINTEDI"
    "edicao_evento" => "II Congresso Internacional de Educação Inclusiva e IIJornada Chilena Brasileira de Educação Inclusiva"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cintedi/2016"
    "edicao_logo" => "5e49faf25ae35_16022020233114.png"
    "edicao_capa" => "5f183d74d349a_22072020102156.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-15 23:00:00"
    "publicacao_id" => 21
    "publicacao_nome" => "Anais do Congresso Internacional de Educação e Inclusão - CINTEDI"
    "publicacao_codigo" => "2359-2915"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 15 de novembro de 2016

Resumo

A educação inclusiva, atualmente vem sendo bastante discutida no âmbito escolar. As práticas pedagógicas desenvolvidas para o Ensino de Química devem promover a aprendizagem e compreensão dos discentes, como também despertar o interesse, pelos conteúdos referentes à disciplina. O cenário atual das Escolas Públicas está distante do que realmente devemos considerar inclusão, há uma falta de atendimento adequado considerável para os alunos com algum tipo de deficiência, que procuram a inserção nas Escolas Públicas. A escassez de docentes qualificados para ensinar esses alunos com deficiência auditiva é bem notável, a ausência de intérpretes, a dificuldade na comunicação com colegas de sala de aula e falta de capacitação do corpo de funcionários das escolas são alguns fatores que prejudicam a permanência e o aprendizado dos desses discentes. A interação dos docentes com os alunos dessa modalidade se faz essencial para uma aprendizagem significativa, dessa forma, uma alternativa para solucionar essa problemática é ampliar a zona de conhecimento dos professores, para que os mesmos possam desenvolver atividades diversificadas atendendo os diversos tipos de público que se fazem presente em sua sala de aula. Muitas vezes o docente se prende a uma única metodologia alegando falta de materiais para trabalhar nas escolas, mas os avanços são muitos e a utilização de materiais com baixo custo se torna cada vez mais presente em sala de aula, as aulas com a utilização desses materiais têm um custo mínimo e ainda conscientiza os alunos de que nem tudo que vai para o lixo é lixo. Esse trabalho objetivou o acesso ao conhecimento químico de deficientes auditivos, através da estruturação e aplicação uma aula interativa com mapas conceituais e utilizando materiais alternativos, fazendo ligação com o seu dia a dia e tornando o aprendizado desses discentes mais eficiente e significativo, por meio da experimentação.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.