Artigo Anais II WIASB

ANAIS de Evento

ISSN: 2319-0248

ESPÉCIES VEGETAIS DO BIOMA CAATINGA COM POTENCIAL COMO BIOINDICADOR DA QUALIDADE AMBIENTAL

Palavra-chaves: BIOINDICAÇÃO, SEMIÁRIDO, CONSERVAÇÃO Pôster (PO) Preservação do meio ambiente no semiárido Publicado em 25 de novembro de 2015

Resumo

A Caatinga é certamente um dos biomas brasileiros mais alterados pelas atividades humanas através dos séculos. A interferência antrópica no meio ambiente gera uma série de alterações no funcionamento dos mesmos. O que acontece é que, muitas dessas interferências não têm seus efeitos instantaneamente perceptíveis, ou seja, apresentam consequências, muitas vezes silenciosas, que se acumulam ao longo do tempo, despontando apenas depois de um determinado período. Isso, se tratando de impactos ambientais negativos, pode ter implicações impresumíveis e dependendo do grau, irreversíveis.Diante desse contexto, o presente trabalho busca fazer uma análise, baseada nos parâmetros sugeridos por Johnson et al., (1993) apud Neumann e El Deir (2009) de três espécies vegetais do bioma caatinga, mais especificamente da região do semiárido nordestino, quanto a sua possível eficiência na bioindicação. Este artigo pode auxiliar no estabelecimento de estratégias de conservação ambiental, por meio do uso destas espécies como forma de monitorar a qualidade ambiental do meio e no estímulo de delineamento de unidades de conservação. A partir das pesquisas bibliográficas foram escolhidas três espécies vegetais com ocorrência em áreas de caatinga, mas especificamente no semiárido nordestino: Amburana cearenses, Aspidosperma pyrifolium e Caesalpinia pyramidali. Através dos critérios propostos por Johnson et al. (1993) apud Leitão e El-Deir (2009) estas espécies foram analisadas com foco para a bioindicação ideal em campo e bioensaios A pesquisa é de cunho descritivo e dedutivo. Para se realizar essa identificação, cada parâmetro sugerido por Johnson et al., (1993) apud Neumann Leitão e El-deir (2009) foi analisado, levando-se em consideração dois fatores: estudo em laboratório e estudo em campo. A partir dos parâmetros usados, observou-se que as espécies Amburana cearenses, Aspidosperma pyrifolium e Caesalpinia pyramidali podem ser usadas para trabalhos em campo e em laboratório, face a características específicas destas, destacando sua baixa mobilidade, taxonomia e características fisiológicas bem definidas. Recomenda-se que estudos mais aprofundados devem ter lugar para denotar maior conhecimento fisiológico, vislumbrando assim uma bioindicação mais específica de algum parâmetro ambiental em particular, auxiliando desta maneira na gestão ambiental da caatinga e na determinação de estratégias de conservação ecossistêmica.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.